Principais causas de incêndio em transportador de correia

20 de abril de 2022
Principais causas de incêndio em transportador de correia

Casos de incêndio em transportador de correia são comuns e podem atingir operações e gerar prejuízos incalculáveis.

A verdade é que o transportador de correia é um equipamento de fácil propagação do fogo, devido à sua  movimentação e ao material presente na cobertura das correias.

Em alguns casos, o elastômero assume um papel de combustível quando exposto a temperaturas elevadas e isso geralmente ocorre quando ele está operando em desalinhamento, gerando atrito entre os elementos e dando início às chamas.

As consequências desse tipo de acidente podem ser enormes, podendo causar danos à vida dos profissionais e também um alto prejuízo no ativo.

Sem contar que, uma parada de produção não programada gera custos altíssimos.

Em casos recentes no Brasil e na Austrália demonstram que o posicionamento dos transportadores próximo ao solo, perfis retorcidos e banzos superiores com forte flambagem, provocaram deformações plásticas nas diagonais laterais, atingindo 70% da estrutura do transportador.

Os relatos comprovam a importância de medidas preventivas calculadas para esse tipo de situação.

Confira alguns pontos de atenção abaixo:

5 questões que podem evitar incêndio em transportador de correia

1- Rolos travados

O calor gerado por atrito pode dar início a chamas e automaticamente incêndios, principalmente em correias transportadoras revestidas com borracha.

Sensores sem fio de vibração e temperatura, aliados a um sistema de manutenção preditiva integrada são uma boa opção para o monitoramento contínuo dos rolos.

2 – Bloqueio da correia transportadora

Quando a correia tem o movimento interrompido e o tambor continua girando, o calor gerado pelo atrito também pode causar incêndio.

Para isso, a instalação de sensores no espelho do tambor seria uma medida preventiva eficaz, sendo possível se antever ao aumento da temperatura e evitar uma parada.

3 – Bloqueio de tambores

O bloqueio dos tambores também é conhecido como patinar e ocorre quando o calor gerado por atrito no processo, superaquece o elastômero, podendo em consequência, dar início a um incêndio.

O desalinhamento ou o bloqueio pode ser identificado pelos sensores, principalmente através da vibração.

4 – Desalinhamento da correia transportadora

Quando a correia opera desalinhada, além do superaquecimento, o problema afeta também a estrutura do equipamento.

Por isso é tão importante ter uma análise contínua desse tipo de máquina, principalmente em transportadores de correia de longa distância, mas também em carregadores de navios, transportadores autônomos, entre outros.

5 – Vegetação próxima à correia transportadora

O risco de incêndio iniciado na vegetação pode ser facilmente propagado para o transportador de correia.

Principalmente em períodos de seca, torna-se uma exposição desnecessária.

O ideal é manter uma distância segura entre vegetação e equipamento, assim como a poda regular para diminuir os riscos.

Por que monitorar vibração e temperatura?

A intenção básica ao medir a vibração e temperatura de um equipamento é o que possibilita mapear e interpretar informações e movimentos que possam estar alterados e oscilando além do normal.

Por meio desse tipo de análise, é possível se antecipar no reparo de anomalias como desgaste de algum componente ou superaquecimento, indicando ação imediata ou programada de manutenção.

Ao utilizar os sensores sem fio da Dynamox para monitoramento da máquina e gateways para a coleta automatizada dos dados é possível acompanhar a “saúde” do ativo de maneira remota e instantânea.

Os dados são enviados diretamente para a plataforma web, onde são centralizados e avaliados para a tomada de decisão.

Essa interpretação de dados é vantajosa devido à quantidade de informações específicas coletadas do equipamento em pequenos intervalos, garantindo assim, mais assertividade no reparo.

Dentro da Plataforma Web DynaPredict, além das três cores de alerta (verde, amarelo e vermelho) disponíveis para identificar a criticidade do problema, e-mails são disparados para os técnicos assim que uma anomalia é detectada.

Essa função não só agiliza o processo de avaliação, como também, evita o agravamento do mesmo.

É importante ressaltar que para chegar em casos críticos como um incêndio, significa que determinada variação no funcionamento do maquinário não foi identificada em tempo hábil.

Por isso, o investimento em tecnologias de monitoramento é algo que precisa ser considerado como estratégia segura para evitar que acidentes como esse ocorram.

A assertividade da nossa solução é medir além da temperatura, com uma solução de manutenção preditiva integrada, que sinaliza o número específico de equipamentos bloqueados ou desalinhados.

Fora isso, temos o módulo de manutenção sensitiva que atua de forma integrada, assim, o técnico consegue responder a um checklist, enviar fotos, geolocalização ou até áudios sobre o problema detectado, tornando o processo mais ágil e centralizado.

Aliás, os dados de vibração e temperatura podem ser somados a essa análise, assim como podem ser criados alarmes e informativos específicos no dashboard da solução em casos mais críticos.

Gostou desse artigo? Confira o e-book: Como Monitorar Transportadores

Leia mais sobre a importância do monitoramento da vibração de ativos industriais ou solicite orçamento aqui.


Canais de Comunicação


DynaPredict
Empresa
Conteúdo
Suporte
Unidades
icon

icon
icon
icon
icon
icon

@ Dynamox.

Todos os Direitos Reservados.

ISO
Great Place To Work

@ Dynamox.

Todos os Direitos Reservados.