Terceirização da manutenção: benefícios e riscos de uma equipe “especializada”

Terceirização da manutenção: benefícios e riscos de uma equipe “especializada”

Vale a pena a execução das atividades de manutenção por equipe própria ou há motivos estratégicos para terceirizar atividades de manutenção?

Certamente há razões tanto para um quanto para outro.

Olhando para a indústria brasileira, o Documento Nacional 2017 da ABRAMAN traz uma pincelada do que pode ser parte da realidade:

  • Em média, 33% das equipes de manutenção são terceiros;
  • 19% dos custos com manutenção são alocados à mão de obra terceirizada;
  • 59% da mão de obra de manutenção tem ensino médio (são trabalhadores técnicos).

Desses três indicadores, pode-se inferir que um terço das atividades de manutenção no Brasil, para o escopo analisado, são terceirizadas. Que, em média, os custos de mão de obra terceirizada são menores do que a mão de obra própria. E que a maior parte desse trabalhador de manutenção tem um perfil técnico.

Algumas das razões para terceirizar atividades de manutenção

Uma indústria pode ter diferentes abordagens para subcontratar um serviço. Entre elas:

  1. Desejo de estruturar ou revisar as práticas de manutenção através de um comprovado especialista;
  2. Mudar de patamar de manutenção, ou seja, agregar técnicas de preventiva e preditiva quando o foco está na corretiva;
  3. Serviços especializados cuja qualificação não faz sentido estar disponível no quadro da empresa;
  4. Executar técnicas preditivas como, análise de óleo, análise de vibração, termografia, entre outros;
  5. Demanda de grande vulto, como uma parada geral;
  6. A indisponibilidade de mão de obra qualificada;
  7. Treinamento da mão de obra própria.

A indústria pode optar por manter uma equipe interna de manutenção e ter parceria com uma empresa terceirizada para realizar atividades específicas. Dependendo do tamanho e estratégia de manutenção adotada pela indústria, contratar terceiros pode resolver questões pontuais, como controlar custos e gerar flexibilidade em dimensionar a equipe para o trabalho a ser realizado.

Porém, deve-se sempre prestar atenção e tomar alguns cuidados na escolha e contratação de serviços terceirizados. Sem isso, os benefícios em termos de qualidade e custos podem ser facilmente perdidos.

Na contratação de um serviço terceirizado, devem ser avaliados os critérios de qualidade (para a atividade contratada), preço, experiência e competência, tecnologia empregada e prazo de execução. Além disso, vale conferir sua estrutura e idoneidade como segurança da sua capacidade para o cumprimento do contrato.

Algumas vantagens e cuidados com a terceirização

Além das vantagens já mencionadas, como potencial redução de custos, a contratação de especialistas e flexibilidade no dimensionamento de equipes, pode-se, ainda, elencar outras vantagens da terceirização da manutenção:

    • A oportunidade do foco no negócio principal da organização;
    • Aumento da qualidade do serviço executado e da confiabilidade do maquinário;
    • Exposição e inserção de novas tecnologias;
    • Potencial otimização do tempo dos gestores e colaboradores (com a redução da sobrecarga de trabalho);
    • Contar com equipes mais experientes, com conhecimentos técnicos específicos;
  • Ajuda extra no desenvolvimento de competências internas.

Antes de terceirizar, é importante uma análise sobre alguns cuidados e riscos potenciais:

    • Encontrar prestadores de serviços com capacitação comprovada para a atividade a ser realizada;
    • Estabelecer um bom contrato, com objetivos, responsabilidades específicas e resultados esperados;
    • Definir se permite e em quais condições do terceiro sub-contratar prestadores de serviços;
    • O relacionamento a ser estabelecido proporciona um ambiente de colaboração mútua?
    • A contratante está pensando numa relação de longo prazo?
  • Qualificar o grau de dependência que eventualmente será gerado, incluindo análise de riscos dela decorrentes.

Em ambas as situações, em que a atividade é executada por equipe própria ou terceirizada, há que se ter parâmetros de comparação. Pois sem conhecer índices de retrabalho e de acidentes, por exemplo, não há como saber se a terceirização gerou os benefícios esperados.

A partir destas ponderações, sugere-se ao industrial que tenha gestores próprios que conheçam as melhores práticas da manutenção, que mantenham além de indicadores, o senso crítico apurado.

O gestor da manutenção deve acompanhar as tecnologias mais recentes ou pertinentes e o entendimento da aplicação em seu ambiente para extrair os melhores benefícios para a organização.

A manutenção preditiva, de acordo com dados da ABRAMAN, ainda tem aplicação bastante limitada no Brasil (apenas 14%), e quando aplicada é gerida por terceiros. A solução DynaPredict abre a possibilidade da indústria aplicar o monitoramento contínuo de ativos, através de equipe própria ou com a ajuda de um terceiro. Saiba mais!