A Relação Entre o Monitoramento Contínuo de Ativos e a ISO 55000

A Relação Entre o Monitoramento Contínuo de Ativos e a ISO 55000

O grupo de normas ISO 55000 requer atenção especial dos responsáveis pela implementação, manutenção e melhoria da gestão de ativos.

A ISO é uma organização com objetivo de estabelecer padrões internacionais por meio de normas técnicas, procedimentos e processos, a fim de promover boas práticas de gestão e avanço tecnológico. Dentre sua extensa gama de normas, encontra-se a “ISO 55000”, referente à gestão de ativos, lançada em 2014.

A importância da gestão de ativos envolve criação de valor e diminuição de riscos de um negócio. Dessa forma, o grupo de normas ISO 55000 padroniza procedimentos e políticas para uma gestão eficiente dos ativos, a fim de garantir que esses objetivos sejam alcançados.

A norma — aplicável a todos os tipos de organizações — está estruturada da seguinte forma:

ISO 55000: dispõe sobre os fundamentos básicos da gestão de ativos;
ISO 55001: aborda os requisitos para implementar o sistema de gestão de ativos e;
ISO 55002: determina diretrizes para colocar em prática a ISO 55001.

A ISO 55000 e o sistema de gestão de ativos

O sistema de gestão de ativos envolve políticas, planos e processos empresariais integrados a fim de garantir uma gestão efetiva dos ativos.

As organizações certificadas com a ISO 55000 se estruturam para promover melhoria contínua e criação constante de valor a partir dos seus ativos. Isso se dá com a gestão do custo, do desempenho e dos riscos associados aos ativos.

Os requisitos para implementar um sistema de gestão de ativos

A ISO 55001 dispõe os seguintes requisitos para implementar um sistema de gestão de ativos:

· Contexto da Organização: determinar como a estratégia organizacional auxilia o sistema de gestão de ativos. É preciso um plano que delineie os objetivos do sistema de gestão de ativos e sustente as metas da organização.

· Liderança: definir o papel e responsabilidades dos gestores que controlam o sistema de gestão de ativos. Devem garantir que o sistema seja compatível com a direção estratégica da organização e que esteja integrado com os processos.

· Planejamento: especificar como serão alcançados os objetivos da gestão de ativos, atentando-se aos riscos e oportunidades. Neste ponto, se desenvolve o plano estratégico para gestão dos ativos, considerando, principalmente, seu ciclo de vida, os riscos e prioridades da organização, informações e conhecimentos necessários, além de ferramental especial para a manutenção do ativo.

· Suporte: considera os recursos e competências para estabelecer, melhorar e manter o sistema de gestão de ativos. Para tanto, é preciso garantir que os colaboradores envolvidos tenham conhecimento, habilidades e experiência nas suas funções.

· Operacionalização: garantir a eficiência do sistema de gestão de ativos para alcançar os resultados estabelecidos. Envolve políticas de gestão, padrões técnicos, planos e processos. Garantir a operacionalização inclui controlar mudanças ao plano de gestão de ativos e realizar frequentemente análises de riscos.

· Análise de Performance: otimizar a eficiência do sistema de gestão de ativos, aplicando métodos de monitoramento, mensuração e análise. Indicadores de performance devem ser utilizados para medir a eficiência, podendo ser quantitativos, qualitativos ou financeiros. A análise de performance envolve a gestão de riscos e oportunidades.

· Melhoria: aperfeiçoamento contínuo do modelo de gestão de ativos, melhorando performance e agregando valor. É necessário identificar, evitar e prevenir falhas na operacionalização de forma a garantir a constante melhoria do sistema.

Porque conhecer e adotar a ISO 55000

Empresas e indústrias sempre buscam estar a frente de seu mercado e uma gestão de ativos eficiente vem se tornando uma vantagem competitiva para a sustentabilidade do negócio.

Ao serem incorporados os requisitos da ISO 55001, as organizações conseguem:

· melhor gestão de riscos e oportunidades;

· otimização do uso dos ativos: ampliação da sua vida útil, redução de custos e melhor ROI;

· melhor planejamento;

· melhor qualidade de produtos e serviços;

· segurança nas atividades e processos.

Essas são apenas algumas vantagens representadas pela norma. Não é necessário ser certificado para utilizar as boas práticas determinadas pela ISO 55001, e, dessa forma, promover um sistema de gestão de ativos eficiente, garantindo a melhoria contínua e geração continuada de valor dos ativos.

O papel da manutenção no sistema de gestão de ativos

A partir do momento que a gestão eficiente de ativos passou a ser reconhecida como estratégica nas indústrias, a gestão da manutenção ganha mais relevância. A manutenção contribui diretamente para a confiabilidade e disponibilidade dos ativos bem como para a qualidade da produção.

O monitoramento contínuo da condição de ativos industriais, fator disposto na ISO 55000, otimiza o processo de manutenção, permite detectar falhas, prevenir acidentes, facilita o planejamento de ações e influencia as oportunidades de melhoria da organização. Além disso, a norma também aborda a importância da análise contínua de dados dos ativos a fim de avaliar se os resultados esperados estão sendo alcançados.

Isso pode ser feito de maneira fácil através de soluções de manutenção preditiva, que realizam coletas de dados e fornecem diagnósticos do funcionamento dos ativos de forma contínua. Um bom exemplo prático é a Solução DynaPredict, que permite o monitoramento contínuo e coleta de dados de vibração e temperatura de ativos, incluindo a análise espectral. Conheça mais!